Segundo o último Atlas de Saneamento do IBGE, em média 45% dos municípios brasileiros não possuem saneamento básico

Este 22 de março, Dia Mundial da Água, é de reflexão sobre a qualidade do alimento essencial para a vida. Segundo o último Atlas de Saneamento do IBGE, em média 45% dos municípios brasileiros não possuem saneamento básico. A falta de infraestrutura no tratamento e distribuição da água é responsável por 65% das internações hospitalares no Brasil devido às doenças transmitidas pela água contaminada, tais como leptospirose e esquistossomose, cólera e diarreia.

Esses dados indicam a relevância da água mineral envasada para manutenção da saúde pública. Hoje, no Rio Grande do Norte, cerca de 60% da população consome água mineral.

O estado pode comemorar a alta qualidade da água mineral engarrafada oferecida à população potiguar, conta atualmente com 20 fontes do produto sistematicamente fiscalizado pelo DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral) e pelas Vigilâncias Sanitárias. Os órgãos exigem o controle de segurança alimentar através da excelência no processo de produção, desde a coleta do produto, o envasamento até a distribuição e venda para o consumidor final. “O Selo de Controle Fiscal nos lacres dos garrafões de 20 litros é outra obrigatoriedade para as indústrias se manterem organizadas administrativamente”, frisa Djalma Cunha Júnior, presidente do Sindicato de Bebidas e Águas Minerais do RN (Sicramirn).

O presidente acrescenta que o mercado de águas minerais é de extrema importância para a economia do Rio Grande do Norte, proporciona emprego e renda para milhares de famílias, com cerca de 10 mil empregos diretos e indiretos.

 

Fonte: Portal Mercado Aberto